Share |

Élio Maia, o candidato das contas de campanha pouco claras

Em 2009, a candidatura de Élio Maia foi a candidatura das contas pouco claras, com terceiros a pagarem ilegalmente despesas da sua campanha em mais de 10 mil euro. Este ano, sem propostas para o município, o Presidente da Câmara Municipal faz da própria campanha o seu tema central de campanha. Mais um motivo para responder pelos seus actos. Para o BE a transparência é essencial à democracia e às escolhas.

O Acórdão n.º 231/2013 do Tribunal Constitucional, referente às contas de campanha das autárquicas 2009, é bastante claro: terceiros não identificados pagaram de forma ilegal despesas de campanha de Élio Maia num valor superior a 10 mil euros (concretamente 10.151,11 euros). Tratam-se de donativos proibidos por lei. O Bloco de Esquerda considera que Élio Maia, o PSD e o CDS-PP de Aveiro devem divulgar publicamente quem meteu ilegalmente esse dinheiro na sua campanha de 2009.

Agora, em 2013, Élio Maia apresenta o segundo orçamento de campanha mais elevado com o montante exorbitante de 93 mil euros, quatro vezes superior ao orçamento do Bloco de Esquerda. Nas receitas estão previstos donativos privados no valor de 68 mil euros e angariação de fundos de 25 mil euros. O Bloco de Esquerda considera que a transparência é essencial à democracia. Por isso, considera que Élio Maia deve divulgar quem são os seus mecenas que contribuirão com 93 mil euros para a sua campanha. A transparência é essencial para que a população possa avaliar se estamos perante uma qualquer candidatura presa a interesses privados ou perante pagamento de favores. A necessidade de transparência e informação é tanto maior face aos factos praticados pela candidatura de Élio Maia em 2009.

Élio Maia tem assumido um discurso populista anti-democracia mas a verdade é que a sua candidatura tem um orçamento que é um verdadeiro euromilhões concedido por privados.

O populismo de Élio Maia está desfasado da realidade nas contas de campanha, mas também no retrato de vítima que tenta traçar de si próprio. Basta recordar que vendeu as piscinas e ainda que retirou os pelouros a vereadores que defenderam o interesse público. Recorde-se igualmente que Élio Maia abriu o comício de Passos Coelho em Aveiro nas últimas legislativas. Élio Maia pediu o voto dos aveirenses para este governo de fanáticos da austeridade.

O Bloco de Esquerda continua a sua campanha feita com a imaginação e o trabalho dos seus aderentes e candidatos e com total transparência das contas. Uma campanha feita de ideias e propostas concretas para os problemas concretos de Aveiro.