Share |

Transportes públicos Aveiro: Bloco apresenta proposta para reposição de oferta

O Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia Municipal uma proposta com medidas urgente para repor a oferta dos transportes públicos em Aveiro. A proposta será discutida e votada na próxima reunião desse órgão autárquico.

A proposta propõe  "repor todas as carreiras, linhas, horários e paragens existentes antes de 1 de janeiro de 2017". Pretende ainda "anular o aumento de preços nos bilhetes e passes" e, por fim, "colocar em todas as paragens os horários atualizados, procedendo também à devida identificação de todas as paragens do município"

O documento do Bloco recorda que "A qualidade e a oferta de transportes públicos em Aveiro ao longo dos anos têm vindo a ser deterioradas. A 1 de janeiro de 2017, com o início da concessão da MoveAveiro a um privado, o serviço foi severamente afetado. A situação é tão drástica que obrigou mesmo a vários acertos para evitar situações calamitosas, não resolvendo no entanto os problemas criados com a concessão".

A proposta de recomendação afirma que "a 1 de janeiro, o número de carreiras e de horários foi drasticamente reduzido. O percurso de várias linhas foi unificado, resultando em percursos mais demorados. Estas situações levaram a autocarros completamente cheios e a várias pessoas a abandonarem o uso dos transportes públicos. A situação é caricata havendo mesmo vários relatos de os autocarros não pararem nas últimas paragens por estarem demasiado cheios, deixando muitas pessoas nas paragens sem qualquer alternativa".

"A situação levou a várias atualizações de horários e a alguns desdobramentos, sem nunca resolver o problema. Esta situação levou ao caricato de nas paragens de autocarro não existirem horários atualizados. Assim, os horários não são do conhecimento geral da população, estando apenas acessíveis na internet. O número de locais para a compra de bilhetes e passes é igualmente reduzido", prossegue.

Os preços aumentaram, nomeadamente com a criação de zonas e, de forma generalizada, o bilhete único aumentou. Na linha 2 (de Cacia) o passe aumentou de 27 para 38 euros.

O número de paragens foi também reduzido, nomeadamente na Avenida 25 de Abril (zona das escolas José Estevão e Mário Sacramento). Assim, os estudantes passaram a ter que descer na Sé e fazer o resto do percurso a pé, reduzindo a qualidade do serviço e a segurança do percurso dos alunos.

A empresa privada recebe uma renda da autarquia para prestar um serviço com menos oferta que o anterior serviço público. Ao mesmo tempo, os direitos laborais dos trabalhadores não foram assegurados com a concessão.
 
É necessária uma análise profunda dos transportes públicos em Aveiro de forma a aumentar a sua qualidade e oferta, indo ao encontro das necessidades da população e de forma a criar uma cultura de utilização dos mesmos.

O Bloco de Esquerda faz referência que "percorreu todas as linhas matutinas e realizou duas audições públicas no sentido de averiguar as principais dificuldades da população causadas pela concessão da MoveAveiro. Foram encontradas situações que mostram que a atual situação não responde às necessidades da população. Em geral, várias pessoas mostram como as deslocações estão severamente limitadas, como têm que esperar várias horas por transporte, como se criou um enorme transtorno na compatibilização da sua vida com a dos seus filhos, como o aumento de preços as afetaram. Algumas situações graves foram registadas. Várias pessoas que tinham mais que um local de trabalho durante o dia tiveram que abandonar um dos trabalhos dado que a atual oferta de transportes não possibilita essas deslocações. Cidadãos que têm tratamentos médicos diários na sede de concelho, nomeadamente fisioterapia, decidiram abandonar em grande parte os tratamentos dado que tinham que estar à espera de transportes várias horas, anulando os benefícios do tratamento".

O texto conclui que "A vida das pessoas não pode ser deixada em suspenso. Existem medidas urgentes que são necessárias para repor a oferta de transportes públicos em Aveiro e que devem ser aplicadas de imediato. É esse o objetivo da presente proposta de recomendação".

A proposta de recomendação segue em anexo.

AnexoTamanho
amaveiro_-_medidas_urgentes_transportes_publicos.pdf8.17 KB