Share |

"BE está mais bem preparado para governar que PSD, CDS e PS"

Foto: Diário de Aveiro

Ontem, em sessão pública, Nelson Peralta deixou criticas à governação PSD/CDS-PP em Aveiro e no país e assegurou que” a candidatura do BE compromete-se com escolhas ao lado da população de Aveiro”. Catarina Martins disse que “quando olhamos para esta direita o que vemos são buracos”.

Do Cinema Paraíso ao Paraíso dos Parquímetros

Nelson Peralta fez uma analogia com o filme Cinema Paraíso para dizer que “a praça é de todos”, estejamos a falar de democracia ou de espaço público. E recordou que no final do filme o Cinema Paraíso é demolido para dar lugar a um parque de estacionamento, reclamando um final diferente para o filme em Aveiro.

O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Aveiro elencou alguns dos negócios ruinosos que fazem a história da dívida colossal de Aveiro como o negócio das piscinas, a MoveAveiro, as Águas do Vouga, a AdRA, o terreno dos Armazéns Gerais, o Parque Desportivo de Aveiro, o protocolo do estádio, o acordo com a REFER. “Quando hoje os responsáveis dos três partidos que fizeram estes negócios os defendem não estão só a falar do passado. Estão também a falar do presente em que estamos a pagar o custo da ruína, mas também do futuro e do seu programa eleitoral. Quem defende estes negócios e diz que foram bons para Aveiro é porque quer o poder para os poder voltar a fazer”. É necessária uma alternativa, insistiu.

“A democracia é a escolha. A governação é feita de escolhas. E é por isso que o Bloco de Esquerda está mais bem preparado para governar que PSD, CDS e PS. Não porque fazemos melhor as opções dos partidos do passado: não faremos privatizações e negócios ruinosos melhor. Pelo contrário, estamos mais bem preparados para governar porque rompemos com as escolhas do passado. Estamos mais bem preparados para governar porque escolhemos as políticas que servem o interesse de todas e todos os aveirenses”.

Águas: de um negócio a instrumento social

“Ribau Esteves, Élio Maia e os vereadores do PS estiveram unidos para aprovar as Águas do Vouga”, disse referindo que um negócio semelhante e com o mesmo acionista está a levar à falência a Câmara Municipal de Barcelos, para além de aumentar os preços da água e de transferir todo o risco para o público com pagamentos garantidos por caudais mínimos.

O candidato bloquista abordou o caso do único município que decidiu ficar fora das Águas da Região de Aveiro (AdRA) e manter os seus serviços municipalizados. Aí, este ano, foi decidido baixar em 20% as tarifas da água. “Esta opção, de baixar o preço da água, foi prontamente atacada por Ribau Esteves. É «uma situação delicada e grave em termos políticos». Respondemos ao, por ora, candidato da direita: situação delicada são as centenas de famílias que em Aveiro têm que contar o dinheiro no final do mês para pagar a água, situação delicada são as centenas de famílias que em Aveiro não tem abastecimento de água em casa devido à sua condição de carência económica, situação grava em termos políticos é a direita não ter solução para este problema e rejeitar as propostas do Bloco de Esquerda”.

Nelson Peralta reafirmou a necessidade de uma alternativa para Aveiro. “Se a direita fez das águas um negócio para lucro privado, o Bloco de Esquerda vai recuperar as águas para o domínio e serviço público para garantir que não há uma única pessoa em Aveiro que não tenha abastecimento de água devido à sua condição de pobreza”.

Conquistas e vitórias

O candidato falou ainda das vitórias e conquistas conseguidas pela mobilização popular e pela esquerda, no caso o aumento da TSU, as inconstitucionalidades no orçamento de estado, mas também em Aveiro a ponte sobre o canal central, o pórtico do estádio e a concessão do estacionamento por 60 anos. “É necessária uma nova maioria social que permita mais vitórias e conquistas para a população todos os dias”.

Os buracos da direita

“Quando olhamos para esta direita o que vemos são buracos. O buraco da dívida, o buraco das contas, o buraco das swaps, os buracos na estrada, ...” afirmou Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda. Sobre as eleições autárquicas disse que “quem não faz política a sério nem um buraco na estrada é capaz de tapar”.

A coordenadora do Bloco de Esquerda rotulou de “dinossauros saltitantes” os autarcas que, em limite de mandatos numa autarquia saltam para outra na tentativa de se perpetuarem no poder. “Quem diz que a lei não é clara é quem a quer alterar”, referiu.

Catarina Martins reafirmou ainda o apelo para o envolvimento na elaboração do programa do Bloco de pessoas que estiveram nas lutas do urbanismo, dos serviços públicos e da cultura.