Share |

Aprende a nadar companheiro!

Aprende a nadar companheiro!

Angela Merkel entrou em Portugal num ato de insulto, com a mesma arrogância falou de um Povo que não conhece e elogiou o pacto suicidário que a direita subscreve. Mas a sua coragem não ficou além dos muros do forte de S. Julião da Barra, onde os assaltantes se refugiaram de forma cobarde.

Os vassalos, Passos e Portas, cedem à chantagem de uma dívida usurária que nos custará, só em juros,  35 mil milhões, enquanto o BCE concede aos credores o privilegio de juros praticamente nulos.  Às custas dos nossos salários e das pensões dos nossos pais criam um activo altamente lucrativo para a banca, colocando o Povo português refém das medidas experimentalistas de uma engenharia financeira sem escrúpulos.

Passos e Portas entregam a soberania de um país à entidade divina Troika, a mesma divindade que Seguro não ousa beliscar.

Para 2013 PSD/CDS aprovaram o orçamento mais gravoso da história da democracia portuguesa. A mesma democracia que anulam não respeitando a constituição e avançando, agora, com a machada final nos serviços públicos. Pretendem retirar à saúde, educação, aos apoios sociais mais 4 mil milhões de euros. A machadada que cinicamente chamam de refundação do estado.

Também aqui Seguro permanece em cima do muro enquanto as águas agitadas se aproximam.

PSD, CDS e PS ignoram os apelos dos que se manifestam nas ruas, exigindo que se rasgue o memorando com a troika. Ignoram as dificuldades, a pobreza, os 20% de desemprego, a recessão, o aumento da divida. Passos, Portas e Gaspar não honram os seus compromissos com o Povo português, o seu programa não foi escrutinado pelas pessoas. Este governo deve ser demitido e, se Cavaco Silva esqueceu há muito os princípios republicanos, derrubemos nós, pela força da união, da democracia, este desgoverno.

Façamos desta grande greve geral Ibérica, o nosso momento de protesto. Não estamos condenados, não somos obrigados a escolher entre o desemprego sem proteção e a escravatura pois o nosso trabalho é a força motriz de toda a economia. É tempo de invertermos o jogo, vamos mostrar a Passos e Portas que não é a Merkel que manda aqui mas sim a força de um povo que reclama aquilo que é seu:  a soberania, a dignidade, a vida!

Na próxima quarta-feira, 14 de Novembro, estaremos juntos contra a tirania da divida, contra o corte nos salários, contra o desemprego, contra o abaixamento das prestações sociais, contra os mais de 40 mil despedimentos que o governo prevê no orçamento de estado. Estaremos juntos mostrando que há alternativa, juntos pelo crescimento económico, pela defesa da saúde e educação públicas,  pelo emprego, pelos direitos laborais.

Esta é também uma luta internacional, pela solidariedade. Em cerca de vinte países europeus várias vozes se erguem contra a austeridade. Trabalhadores, desempregados, precários, reformados, estudantes, homens e mulheres , europeus unidos .

Vivemos tempos de mudança! Ventos fortes agitam águas que, outrora numa calmaria gélida nos bloqueavam o movimento, agora se revoltam tempestuosas.

São ventos de mudança que tudo agitam e que tudo mudarão à sua passagem. A nós, companheiros, resta-nos a escolha: ou aprendemos a nadar e nos levantamos com esta maré ou nos deixamos afundar no poço negro que a austeridade cava cada vez mais fundo.